Escrito na Água – Paula Hawkins [Opinião]

440x.jpgEdição/reimpressão: 2017

Editor: TopSeller

ISBN: 9789898800886

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “CUIDADO COM AS ÁGUAS CALMAS. NÃO SABEMOS O QUE ESCONDEM NO FUNDO.

Nel vivia obcecada com as mortes no rio. O rio que atravessava aquela vila já levara a vida a demasiadas mulheres ao longo dos tempos, incluindo, recentemente, a melhor amiga da sua filha. Desde então, Nel vivia ainda mais determinada a encontrar respostas.

Agora, é ela que aparece morta. Sem vestígios de crime, tudo aponta para que Nel se tenha suicidado no rio. Mas poucos dias antes da sua morte, ela deixara uma mensagem à irmã, Jules, num tom de voz urgente e assustado. Estaria Nel a temer pela sua vida?

Que segredos escondem aquelas águas? Para descobrir a verdade, Jules ver-se-á forçada a enfrentar recordações e medos terríveis há muito submersos naquele rio de águas calmas, que a morte da irmã vem trazer à superfície.
Um livro profundamente original e surpreendente sobre as formas devastadoras que o passado encontra para voltar a assombrar-nos no presente. Paula Hawkins confirma, de forma triunfal, a sua mestria no entendimento dos instintos humanos, numa história com tanta ou maior intensidade do que A Rapariga no Comboio.”

Opinião: Posso dizer que estou à espera de um livro novo da Paula Hawkins desde que li A Rapariga no Comboio. E, se eu pensei que não podia ser possível conseguir surpreender-me mais com a escritora, neste livro ela mostrou-me que eu estava extremamente enganada. Uma coisa é certa, este livro é melhor que A Rapariga no Comboio, disso não resta dúvidas. Mas, o porquê de ser assim tão bom?

Para quem está habituado a ler thrillers já tem noção como funcionam os enredos neste género de livros. É preciso ter concentração máxima durante a leitura visto que os thrillers são livros muito complexos. E neste livro em especial, temos de focar apenas na leitura. Temos diferentes pontos de vista e basta não prestar atenção durante um parágrafo e já se foi a essência da leitura. Mas qual a parte mais interessante disto? Os vários pontos de vista fornecem várias informações para as nossas teorias, e acabámos por descobrir que as personagens de uma maneira ou de outra encontram-se interligadas. Além do mais, ao conhecermos diversas personagens ficámos a perceber que a história não é apenas aquilo. Há mais história para além daquela que pensámos existir.

As coisas são como são, como sempre foram. Não podem ser diferentes.

Ao ínicio vamos achar que o fim é demasiado óbvio, a certo ponto vamos deixar de acreditar nisso, mas vamos voltar à nossa teoria original. A verdade é: o final é óbvio, até certo ponto. Porque quando pensámos que foi aquilo que realmente aconteceu, a escritora decide tirar o tapete debaixo dos nossos pés. E acaba por ser assim muitas vezes durante o livro, e isso é apenas mais um aspecto positivo no livro.

Mais um aspecto positivo no livro é sem dúvida a escrita de Hawkins. Ela sem dúvida que tem talento, e se achei a leitura do livro A Rapariga no Comboio super fluída, neste livro é muito mais. Apesar de ser um livro um pouco pesado devido aos temas retratados, conseguimos ler muito bem sem qualquer complicação. O enredo, como já referi, tem alguns temas que pode causar perturbação no leitor, desde violação a suicídio, e ainda violência doméstica. A escritora, com o seu talento na escrita, consegue colocar o leitor a imaginar diversos cenários, e por vezes até parece que viajámos para dentro do livro.

–  Tu sabes bem que isso não é assim, não sabes? Às vezes, com coisas como estas, não há qualquer verdade a descobrir.

Durante a leitura o nosso cérebro viaja milhares de vezes, imaginámos diversas possibilidades do que poderá ter acontecido e sinceramente, todas ficam bem na história. A certo ponto parece que a escritora quer mesmo que nós fiquemos a bater com a cabeça, a tentar descobrir o que realmente aconteceu. E claro, nós leitores, viciados na leitura como somos, lemos página após página sem ter noção que estamos cada vez mais próximos do final. E ainda temos outra coisa, quando chegámos ao final do livro não queremos acreditar que acabou! Isso mesmo, terminei o livro e pensei: “Onde está o segundo livro? Podia haver um segundo livro que eu lia!”, mas depois cheguei à conclusão que se houvesse um segundo livro a história toda perdida a sua essência.

Os capítulos até são deveras curtos, sempre de pontos de vista diferentes e com a justa intervenção para a história. Temos ainda flashbacks que nos ajudam a entender certas ações, e que nos levam a criar mais teorias. Porque este livro é baseado em teorias, vão fazer teorias do ínicio até ao fim do livro. Vocês acabam o livro e ainda têm teorias acerca dele. E é isso, digo mais uma vez e pela milésima vez, que torna este livro único e tão bom.

A dor e o choque afetam as pessoas de maneiras estranhas.

O enredo centra-se no rio. Pode parecer estranho ao ínicio, ficámos até a pensar “Que raio?”, mas depois à medida que avançámos na leitura parece que vamos flutuando ao longo do livro. A escritora dá-nos a dose perfeita de mistério, e não deixa o mistério morrer nunca ao longo do livro! É tão bom, e tão intenso. Melhor não podia ser!

O que achei mais complicado de lidar durante a leitura, principalmente ao ínicio, foi conseguir criar alguma empatia com as personagens, conseguir lembrar de todas e que importância têm na história. Mas, isso apenas resolve-se de uma simples maneira: prestar atenção à leitura! Acreditem, neste livro como em todos os outros, é fundamental ter atenção a todos os detalhes.

Acho que já deu para notar que adorei o livro, não? Da primeira à última página, e mesmo no final que deixou-me ali a morrer por mais. Eu tinha as expectativas muito altas para este livro e superou as expectativas, até parece impossível. Estou ansiosa para ler mais livros da Paula Hawkins, depois deste livro passou sem dúvida a ser uma das minhas escritoras preferidas. E este livro, passou para o meu top 10 de livros preferidos de 2017, e possivelmente, está em primeiro lugar!

To Be Read – Maio

3rQYM1493586875.png

Por norma, costumo partilhar a minha tbr para o mês no Instagram. Faço isto porque é uma forma de organizar-me, e de certo modo consigo ler mais se tiver um objetivo para o mês. E porquê quero trazer também para o blog? Para além de partilhar as minhas Leituras do Mês e Bookhaul, achei que deveria partilhar o que planeio ler durante o mês. Má ideia? Eu gostei até.

Então, para o mês de Maio, apesar de não saber se irei conseguir ler muito, pretendo ler os seguintes livros:

  • A Filha da Minha Melhor Amiga, Dorothy Koomson

image (5)Já deveria ter lido este livro desde que o comprei. Depois, comprometi-me a lê-lo para a Maratona Spring-To-Read e acabei por não ler. Mas desta vez, este mês, tenho mesmo de o ler. Já comecei a ler, e estou a gostar imenso. Penso que será uma das leituras a apresentar no post Leituras do Mês de Maio.

Sinopse: “A forte relação de amizade entre Kamryn Matika e Adele Brannon, companheiras desde os tempos de faculdade, é destruída num instante de traição que marcará as suas vidas para sempre.

Anos depois desse incidente, Kamryn é uma mulher com uma carreira de sucesso, que vive sem ligações pessoais complexas, protegendo-se de todas as desilusões. Mas eis que, no dia do seu aniversário, Adele a contacta… A amiga de Kamryn está a morrer e implora-lhe que adote a sua filha, Tegan, fruto da sua ilícita relação de uma noite com Nate.

Terá ela outra escolha? Será o perdão possível? O que estará Kamryn disposta a fazer pela amiga que lhe partiu o coração?

Uma viagem dolorosa e comovente de autoconhecimento, uma leitura de cortar a respiração.”

  • Will & Will, David Levithan e John Green

1507-1Outro livro que deveria ter lido na Maratona Spring-To-Read, mas acabei por não ler. Eu sei que vai ser um leitura deste mês, aliás, é uma releitura. E como é inglês eu consigo ler muito mais rápido. Portanto, podem contar com este livro no post das Leituras do Mês!

Sinopse: “Evanston não fica muito longe de Naperville nos subúrbios de Chicago, mas os jovens Will Grayson e Will Grayson bem que podiam viver em planetas diferentes. Quando o destino os leva à mesma encruzilhada, os Will Graysons veem as suas vidas a sobreporem-se e a seguirem novas e inesperadas direções. Com um empurrão de amigos novos e velhos – incluindo o enorme e enormemente fabuloso Tiny Cooper, jogador ofensivo na equipa de futebol americano da escola e autor de musicais – Will e Will embarcam nas suas respetivas aventuras românticas e na produção épica do musical mais extraordinário da história.”

  • A Sala dos Reptéis (Uma Série de Desgraças #2),  Lemony Snicket

A_Sala_dos_RépteisEu vou ler em e-book este livro, até porque a versão em português só existem em português do brasil, e como pretendo adquirir o livro em inglês por agora vou ter de ler a série em e-book. Eu estava a ver a série, mas visto que tinha os livros decidi parar e ler os livros para ver qual a diferença, e surpreendeu-me a série. Das melhores que vi a nível de adaptação de livro para série.

Sinopse: “Se pegou neste livro, esperando encontrar nele uma história simples e divertida, lamento, pois pegou no livro errado. A história pode parecer divertida a princípio, na altura em que os irmãos Baudelaire passam algum tempo na companhia duns répteis interessantes e dum tio amalucado. Mas não se deixe enganar. Se acaso já conhece os azarentos irmãos Baudelaire, então sabe que até as ocorrências agradáveis conduzem à mesma via de infortúnio.
A verdade é que, nestas páginas que agora folheia, os três manos sofrem um acidente de automóvel, suportam um odor horrível, defrontam uma serpente mortífera, um facalhão, um candeeiro de bronze de grandes dimensões e o reaparecimento duma pessoa que esperavam nunca mais ver na vida.”

  • Crescendo (Hush, Hush #2), Becca Fitzpatrick

440xEu quero ler este livro, mas não o tenho em formato físico. Eu vou ter de ler em e-book, mas isso não é o problema. Quero terminar a série Hush, Hush este ano, e sinceramente estou super ansiosa!

Sinopse: “A vida de Nora Grey continua longe de ser perfeita. Sobreviver a um ataque que podia ter-lhe custado a vida não foi fácil, mas tudo se resolveu, graças ao seu anjo da guarda ¿ uma criatura misteriosa, sedutora e bela.
Mas Patch tem sido tudo menos angelical. Está mais distante do que nunca e parece estar a passar demasiado tempo com a arqui-inimiga de Nora, Marcie Millar. E, como se isso não bastasse, Nora é assombrada por recordações do seu pai assassinado, começando a pensar que as intrigas dos anjos poderão estar relacionadas com a morte dele.
Desesperada por desvendar os estranhos acontecimentos do seu passado, Nora expõe-se ao perigo, na esperança de encontrar algumas respostas.
Mas todos sabemos que há perguntas que nunca devem ser feitas…”

  • Silêncio (Hush, Hush #3), Becca Fitzpatrick

440x (1)Verdade, quero mesmo ler dois livros da mesma série no mesmo mês. Se vai correr bem? Não sei, mas espero que sim. Até porque eu adorei imenso o primeiro livro da série e penso que irei gostar dos restantes livros.

Sinopse: “Quando o silêncio é tudo o que resta, poderá a verdade fazer-se ouvir?

Nora Grey não consegue lembrar-se do que se passou nos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar num cemitério e descobrir que esteve desaparecida durante semanas – sem ninguém saber onde ou com quem estava – tenta tomar o pulso à própria vida. Regressa às aulas, passeia com a melhor amiga Vee e tenta evitar ao máximo o novo namorado da mãe.

Mas há uma voz que lhe ecoa na mente, uma ideia que quase consegue tocar e sentir. Visões de asas de anjo e criaturas sobrenaturais que nada têm que ver com o mundo que conhece.

E não consegue deixar de se sentir perdida e… incompleta.

Então, Nora cruza o caminho de um desconhecido muito sensual com quem partilha uma ligação estranha e muito forte. Ele parece conhecer todas as respostas… e o coração dela. Cada minuto que passa com ele torna-se cada vez mais intenso até que ela se apercebe de que pode estar a apaixonar-se. Novamente.”

  • A Seita (Cherub #5), Robert Muchamore

image (6)Eu tenho a série toda em casa. Só li até ao quarto livro, e como eu pretendo terminar todas as séries que tenho em casa este ano, terei de despachar bem rápido Cherub! Eu tenho adorado todos os livros. Estou um pouco triste porque as novas edições são super lindas e são mais facéis até para ler. Nem sei que hei-de fazer! Vender estas e comprar as novas? Não sei!

Sinopse: “James e os seus colegas infiltram-se num culto australiano, Os Sobreviventes, depois de descobrirem indícios de uma potencial ligação ao grupo terrorista Ajudem a Terra.

O quartel-general do culto está completamente isolado no deserto australiano, a vários quilómetros da cidade mais próxima.

É a missão mais difícil até ao momento, porque James será obrigado a obedecer às rígidas regras por que o culto é famoso e resistir às técnicas de lavagem cerebral que usa para cativar os seus seguidores.

Desta vez, James não só terá de combater terroristas, mas também lutar para preservar a sua própria sanidade.”

Está aqui a minha tbr para o mês de Maio. Espero mesmo conseguir ler estes livros, até porque eu já os tenho à demasiado tempo na estante. E claro, se pretendo comprar novos livros preciso despachar alguns da lista dos livros para ler! Que livros pretendem vocês ler para o mês de Maio?

 

O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Peculiar Children #1) – Ransom Riggs [Opinião]

image-8Edição/reimpressão: 2016

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722532372

Classificação: 3,5 em 5 estrelas

Sinopse: “Uma ilha misteriosa. Uma casa abandonada. Uma estranha coleção de fotografias peculiares. Uma terrível tragédia familiar leva Jacob, um jovem de dezasseis anos, a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares, criado pela senhora Peregrine. Ao explorar os quartos e corredores abandonados, apercebe-se de que as crianças do lar eram mais do que apenas peculiares; podiam também ser perigosas. É possível que tivessem sido mantidas enclausuradas numa ilha quase deserta por um bom motivo. E, por incrível que pareça, podem ainda estar vivas…

Um romance arrepiante, ilustrado com fantasmagóricas fotografias vintage, que fará as delícias de adultos, jovens e todos aqueles que apreciam o suspense.”

Opinião: Eu esperava gostar muito mais deste livro do que gostei. Eu tinha imensas expectativas para este livro. Ouvi mil maravilhas deste livro, das pessoas que costumo seguir as opiniões quase nenhuma fez crítica negativa, e por isso tinha as expectativas bem altas. A capa fez-me ficar ainda mais curiosa com o livro, e acabou por ser mais uma coisa que fez aumentar as minhas expectativas. Mas, não gostei tanto como queria e esperava.

17494046_309453372806086_4625865247364743168_nBem, vamos começar pelo princípio. Ao ínicio estava a gostar da história, sério, foi a única parte do livro que eu gostei. De resto, houve uma certa parte em que o livro parece que deixou de fazer sentido, ou até mesmo que o escritor pretendia fazer história à força. As personagens nenhuma chamou a minha atenção, pareciam mal planeadas. Sei que o livro devido a falar-se de uma tema incomum pode parecer ter personagens muito bem delineadas, mas não foi isso que senti. Mas, em outro ponto, tem pequenas partes que há ali uma pequena luz que faz-nos ter esperanças, parece que finalmente vai começar a fazer sentido, mas depois volta tudo ao mesmo.

Se pensei em desistir do livro? Pensei, várias vezes. Mas não sou de ficar a meio de um livro, gosto de o ler até ao fim mesmo sem gostar. E acreditem, fiz um enorme esforço para gostar deste livro. E sei que não gostei do livro porque não fiz nenhuma marcação, não vi nada que me fizesse querer guardar para sempre na minha memória, nem mesmo uma única citação! As citações que tenho deste livro foram que fui buscar à Internet e mesmo assim não gosto muito delas!

Quanto às personagens, é assim, eu sei que as personagens tinham por volta dos dezasseis anos, falando apenas nas crianças. Mas, a maneira como elas agiam, parecia demasiado infantil. São crianças sim, e algumas delas muito adultas, mas há limites. Para mim a personagem princiapl era muito infantil. Sim, estava em trauma, sim ok. Mas mesmo assim? Muitas das suas atitudes não se justificavam. Queria saber que realmente tinha acontecido, eu entendo, mas podia ter sido uma personagem muito melhor delineada.

“Às vezes, tudo o que você precisa fazer é cruzar uma porta.”

E agora falemos do que me fez mais confusão. O que os pais fazem nesta história? Nada. Eles tentam ter um papel, mas na verdade o escritor só lá colocou os pais porque o rapaz precisava de uns pais para a história parecer bonita. O que vemos durante a histório são pais irresponsáveis, que fingem querem saber do filho, mas não se importam. Levam-no 17333839_1004710116327235_6266290266194313216_npara uma ilha desconhecida, deixam ele andar numa ilha desconhecida com gente desconhecida, e muitas das vezes por lugares sombrios sozinhos. O que eles queriam obter com estes pais? Fácil. Queria que o rapaz para além de ter sofrido o trauma querem que ele tenha uns pais que não querem saber dele, e assim ele tem mais uma fonte de revolta e raiva.

E isto é mais um limite da ficção. Os pais precisam ter um papel fundamentaal no livro quando aparecem. Pais irresponsáveis existem sim, mas se mostram isso em todos os livros, parece que o livro não mostra credibilidade. Vmaos começar a mudar isso? Não é necessário acontecer o mesmo em todos os livros.

E foi isto que achei do livro. É uma opinião diferente do que estou habituada a fazer. Tenho muitas críticas e tentem abordá-las todas, mas faltam-me palavras honestamente. Vou querer ler os outros livros da trilogia, e porquê? Tenho esperança que a história melhore. Se bem, que para mim este filme e trilogia, poderia muito bem ter ficado apenas com o primeiro livro.

Leituras Do Mês – Abril

bj40w1488228866

E chegou novamente aquela altura do mês em que vos mostro as minhas leituras! Este mês não haverá Bookhaul, isso mesmo. E vocês perguntam porquê? Eu digo-vos, porque eu não comprei nenhum livro este mês! Sei que parece quase milagre, mas não comprei mesmo nenhum! Estou tão orgulhosa de mim própria. Ultimamente tenho visto a minha tbr a descer tanto!

Em maio haverá uma data importante para mim, e sinceramente pretendo adquirir alguns livros, não sei se irei conseguir adquirir os que quero, mas pelo menos alguns como um pequeno mimo para mim! Principalmente o novo livro da Payla Hawkins que já saí dia 2 de Maio! Mal posso esperar para o ter na estante!

Então, este mês foram apenas 6 livros, eu não estou muito chateada com isso, até porque é o que eu costume ler por mês. E como no mês passado foram 7 livros, este mês sinto-me satisfeita por o meu desafio de 2017 estar a correr bem! Vamos lá ver se consigo ultrapássa-lo!

E os livros que li em Abril foram:

  • Para Educar Crianças Feministas, Chimamanda Ngozi Adichie (5 em 5 estrelas)
  • Harry Potter e a Ordem da Fénix (Harry Potter #5), J. K. Rowling (5 em 5 estrelas)
  • As Palavras Que Me Deverão Guiar Um Dia, António Tavares (4 em 5 estrelas)
  • O Lar da Senhore Peregrine para Crianças Peculiares, Ransom Riggs (3,5 em 5 estrelas)
  • O Memorial do Convento, José Saramago (3 em 5 estrelas)
  • Um Mau Começo (Uma Série de Desgraças #1),  Lemony Snicket (5 em 5 estrelas)

Durante estes dias irão sair opiniões de alguns livros, por isso fiquem atentos se quiserem saber a minha opinião quanto a alguns livros que se encontram na lista!

E uma coisa posso vos dizer, ando a ficar viciada em e-books. Este mês li 2, e antes odiava ler e-books. Parece que finalmente estou a entrar na onda dos livros em formato virtual! E acreditem, não é assim tão mau como pensavam! Mais livros em fomarto e-book irão ser lidos, sem qualquer dúvida.

Para o mês de Maio pretendo ler pelo menos 5 livros, não sei se irei conseguir. Irei ter imensa coisa para fazer, e além do mais tenho os exames aí a porta e estou mesmo a ver que Junho não irei ler nada e o meu desafio irá ficar arruinado! Rezem por mim!

E vocês quantos livros leram este mês?

Maratona #SpringToRead2017 – Conclusão

E finalmente consegui participar numa maratona de Primavera! Não correu assim tão bem como eu esperava, mas não foi má de todo! Dos três livros que me comprometi a ler consegui ler um e deixei outros dois a metade. É bom, não? O facto de ter tido imenso para fazer durante estes dias, e o facto de ter estado a ler o Memorial do Convento para a escola não ajudou muito. Mas, se formos a analisar bem o caso, eu li 2 livros e deixei 2 a metade! Isto sou eu a fazer batota!

Se quiseres ver o meu post acerca dos livros escolhidos e motivos porque os escolhi basta clicares aqui!

Então, a Maratona #SpringToRead2017 foi realizada pela Chris do Diário da Chris, podem encontrar o link do vídeo relativo à maratona aqui e podem ainda ver os vlogs que ela fez durante a maratona! Vão dar uma vista de olhos, não se vão arrepender! Tínhamos três desafios para completar, e os livros que escolhi para cada desafio foi:

TfdC11492534948.png

image-8

Sinopse: “Uma ilha misteriosa. Uma casa abandonada. Uma estranha coleção de fotografias peculiares. Uma terrível tragédia familiar leva Jacob, um jovem de dezasseis anos, a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares, criado pela senhora Peregrine. Ao explorar os quartos e corredores abandonados, apercebe-se de que as crianças do lar eram mais do que apenas peculiares; podiam também ser perigosas. É possível que tivessem sido mantidas enclausuradas numa ilha quase deserta por um bom motivo. E, por incrível que pareça, podem ainda estar vivas…”vDW9G1492535200.png

1507-1

Sinopse: “Evanston não fica muito longe de Naperville nos subúrbios de Chicago, mas os jovens Will Grayson e Will Grayson bem que podiam viver em planetas diferentes. Quando o destino os leva à mesma encruzilhada, os Will Graysons vêem as suas vidas a sobreporem-se e a seguirem novas e inesperadas direções. Com um empurrão de amigos novos e velhos – incluindo o enorme e enormemente fabuloso Tiny Cooper, jogador ofensivo na equipa de futebol americano da escola e autor de musicais – Will e Will embarcam nas suas respetivas aventuras românticas e na produção épica do musical mais extraordinário da história.”

H2PMI1492535492.png

image (5)Sinopse: “A forte relação de amizade entre Kamryn Matika e Adele Brannon, companheiras desde os tempos de faculdade, é destruída num instante de traição que marcará as suas vidas para sempre.
Anos depois desse incidente, Kamryn é uma mulher com uma carreira de sucesso, que vive sem ligações pessoais complexas, protegendo-se de todas as desilusões. Mas eis que, no dia do seu aniversário, Adele a contacta… A amiga de Kamryn está a morrer e implora-lhe que adote a sua filha, Tegan, fruto da sua ilícita relação de uma noite com Nate.
Terá ela outra escolha? Será o perdão possível? O que estará Kamryn disposta a fazer pela amiga que lhe partiu o coração?
Uma viagem dolorosa e comovente de autoconhecimento, uma leitura de cortar a respiração.”

O resumo das minhas leituras é fácil:

  • Fiquei na página 125 do livro “A Filha da Minha Melhor Amiga” de Dorothy Koomson. Continuo a ler e estou a adorar, mais do que esperava até. Espero para breve terminar a leitura!
  • Fiquei na página 200 do livro “Will & Will” de John Green e David Levithan. Como eu referi no post principal, é uma releitura, e portanto sei que vou adorar! Só espero adorar mais que a primeira vez!
  • E por fim, foi o único livro que tinha me comprometido a ler e consegui terminar, “A Casa da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares” de Ransom Riggs, que honestamente achei que poderia ser melhor. Para estes dias irá sair a opinião no blog, por isso fiquem atentos.
  • E como referi, durante a maratona ainda li o “Memorial do Convento” de José Saramago para a escola, não foi uma leitura que gostasse muito, sinto que se lesse o livro daqui a uns 5 anos iria gostar mais, mas mesmo assim não foi muito má!

O que achei da Maratona? 

Adorei. foi a primeira vez que participei numa maratona assim onde podíamos partilhar as nossas leituras no grupo do Facebook. Foi incrível ver o que as pessoas estavam a ler e o que estavam a achar. Vi muita gente a ler livros que eu adoro e isso deixa-me de coração cheio. É incrível estar em contacto com os outros leitores e trocar ideias! Mais maratonas assim por favor!

Mal posso esperar pela próxima maratona da Chris! Muitos parabéns pela maratona Chris!

Tag – Resoluções Literárias

iBiLb1492700194.png

Olá a todos! Hoje trago-vos uma tag, algo que não trazia à algum tempo! Encontrei esta tag no blog da Raquel do So Happy With Books e apesar de já ser um pouco tarde para mostrar as minhas Resoluções Literárias, achei que seria interessante trazer à mesma. Foi uma tag criada originalmente pela Charr Frears, portanto se quiserem dar uma olhadela!

Mas, vamos lá!

1. Um autor que nunca leste e queres ler

Lesley Pearse! Tenho um livro dela, e já ouvi coisas muito boas, mas nunca li nada dela. E não foi falta de oportunidades! Vamos lá ver se vai ser é este ano.
2. Um livro que queres muito ler 
Quero muito ler It, de Stephen King. Deve ser dos livros que mais ansiosa estou para ler. Quero tanto ler, mas o receio de não gostar é tanto que nem sei!
3. Um clássico que queres ler 
Todos os clássicos de Jane Austen. Nunca li nada de Jane Austen, julguem-me! Eu não sei como é possível, só oiço maravilhas dela e nunca experimento. Parece pecado!
4. Um livro que queres reler
A Rapariga do Comboio da Paula Hawkins! E também Eleanor & Park de Rainbow Rowell.
5. Um livro que tens há séculos e queres finalmente ler
Pedaços de Ternura da Dorothy Koomson. Tenho este livro desde do verão e ainda não o li. Adoro tanto Dorothy Koomson e nem sei porque ainda não o devorei!
6. Um livro gigante e que queres ter a coragem para ler
Volto a repetir, Lesley Pearse aqui. Tenho cá em casa do “Segue o Coração, Não Olhes para Trás”. E o tamanho assusta-me tanto, mas tanto!
7. Um autor que já leste e queres voltar a ler 
Rainbow Rowell! Sem dúvida nenhuma! Quero tanto ler mais livros da Rowell, apenas li dois, mas quero ler todos! Adorei tanto os que li que quero ler tudo o que ela escrever, até a lista de compras!
8. Um livro que te ofereceram no natal e queres ler
Will & Will, de David Levithan e John Green. Eu já li este livro, mas no natal adquiri a versão inglesa e fiquei curiosa em reler. Portanto, é um dos livros que recebi no natal e quero muito ler.
9. Uma série que queres ler, do primeiro ao último livro
Hush, Hush. Sem sombra de dúvida. Apenas li o primeiro livro mas gostei tanto que tenho de ler os últimos três!
10. Uma série que já começaste e queres terminar
Harry Potter sem dúvida!
11. Quantos livros queres ler em 2017?
Quero ler 60 livros, mas se forem mais que isso eu não me importo! Quantos mais melhor!
12. Mais algum objectivo literário que queiras partilhar?
Tenho o objetivo de ler mais literatura portuguesa, ler mais livros em inglês e claro, ler mais clássicos!

Filme | Nem Respires (2016)

a3a7795ec1feac2aa7c1c09f7dbab516Título Original: Don’t Breathe

Género: Crime, Terror, Suspense

Lançamento: Setembro 2016

Elenco Principal: Stephen Lang, Jane Levy, Dylan Minnette

Classificação: 9,5 em 10 estrelas

Sinopse: “Rocky, Alex e Money são ladrões que ganham dinheiro invadindo casas de pessoas ricas em Detroit. Money fica sabendo sobre um veterano de guerra cego que ganhou muito dinheiro pela morte de sua única filha. Pensando ser um alvo fácil, o trio invade a casa isolada do homem em uma vizinhança abandonada. Após se verem presos lá dentro, os jovens invasores têm que lutar por suas vidas ao descobrirem que a vítima não é nada inofensiva.”

Opinião: Eu estou sem palavras quanto a este filme. Foi-me recomendado por um amigo, e agradeço-lhe imenso por tal. Eu amei do ínicio ao fim! Recomendo-vos a ver o filme, acreditem não vão se arrepender. Podem até pensar que é um filme comum, mas é super fora do normal. Eu bato palmas tanto para os atores como para os realizadores do filmes, foram magníficos.

o-homem-nas-trevasDe que fala o filme? Temos aqui um grupo de assaltantes fora do comum. Temos o Alex, o Money e a Rocky. Digo-vos já que eles são muito inteligentes. E, têm uma regra muito fora do comum: não roubam dinheiro. Até ao dia! Rocky e Money, um casal, ao verem uma boa proposta de roubo, ficam entusiasmados em ver tanto dinheiro que pode ser deles. Pensam que vai ser uma missão super fácil, mas… Nem por isso.

Regra número um dos roubos feitos por adolescentes que querem dinheiro: nunca roubes um cego! Principalmente se for um cego militar! E é aqui que o filme torna-se super interessante. Parece muito comum não? Mas não é. É um filme tão imprevisível e com boa qualidade e efeitos que ficámos de boca aberta.

O que mais gostei do filme? Fácil. O som. A maneira como trabalharam com o som, a maneira como souberam passar aos espectadores a importância do som, foi esplêndido. E mesmo os efeitos como já referi, foram brutais!

Os atores conseguiram interpretar muito bem o papel! Cada vez que eles precisam ficar quietos eu sentia que também tinha. Senti cada emoção que eles sentiam, e sabem o quanto raro isso é acontecer entre mim e filmes? Muito raro! Adorei mesmo o filme. Agarrei-me várias vezes à cadeira, fiquei várias vezes com o coração nas mãos, fiquei várias vezes sem conseguir respirar. Mas acreditem, é daqueles filmes que arrependo-me imenso não ter ido ver ao cinema.

Quanto ao final do filme: imprevisível. Eu acho que fizeram um ótimo trabalho com o final, apesar de haver mil e uma críticas. Foi muito bem realizado, e perfeito para o filme em questão. Acho que não poderia ser melhor.

O filme tem mais história para além do assalto, acreditem, o assalto é apenas uma parte. Se quiserem saber o resto têm de ver o filme!

E, isto é uma dica para aqueles que pretendem ver o filme em casa, visto que o filme funciona imenso à base de sons, recomendo a que utilizem auscultadores bons e a um volume não muito alto, mas não muito baixo. Querem saber o porquê? Vejam o filme e vão dar-me razão depois!