Bertrand Editora, Livros, Opinião

O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Peculiar Children #1) – Ransom Riggs [Opinião]

image-8Edição/reimpressão: 2016

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722532372

Classificação: 3,5 em 5 estrelas

Sinopse: “Uma ilha misteriosa. Uma casa abandonada. Uma estranha coleção de fotografias peculiares. Uma terrível tragédia familiar leva Jacob, um jovem de dezasseis anos, a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares, criado pela senhora Peregrine. Ao explorar os quartos e corredores abandonados, apercebe-se de que as crianças do lar eram mais do que apenas peculiares; podiam também ser perigosas. É possível que tivessem sido mantidas enclausuradas numa ilha quase deserta por um bom motivo. E, por incrível que pareça, podem ainda estar vivas…

Um romance arrepiante, ilustrado com fantasmagóricas fotografias vintage, que fará as delícias de adultos, jovens e todos aqueles que apreciam o suspense.”

Opinião: Eu esperava gostar muito mais deste livro do que gostei. Eu tinha imensas expectativas para este livro. Ouvi mil maravilhas deste livro, das pessoas que costumo seguir as opiniões quase nenhuma fez crítica negativa, e por isso tinha as expectativas bem altas. A capa fez-me ficar ainda mais curiosa com o livro, e acabou por ser mais uma coisa que fez aumentar as minhas expectativas. Mas, não gostei tanto como queria e esperava.

17494046_309453372806086_4625865247364743168_nBem, vamos começar pelo princípio. Ao ínicio estava a gostar da história, sério, foi a única parte do livro que eu gostei. De resto, houve uma certa parte em que o livro parece que deixou de fazer sentido, ou até mesmo que o escritor pretendia fazer história à força. As personagens nenhuma chamou a minha atenção, pareciam mal planeadas. Sei que o livro devido a falar-se de uma tema incomum pode parecer ter personagens muito bem delineadas, mas não foi isso que senti. Mas, em outro ponto, tem pequenas partes que há ali uma pequena luz que faz-nos ter esperanças, parece que finalmente vai começar a fazer sentido, mas depois volta tudo ao mesmo.

Se pensei em desistir do livro? Pensei, várias vezes. Mas não sou de ficar a meio de um livro, gosto de o ler até ao fim mesmo sem gostar. E acreditem, fiz um enorme esforço para gostar deste livro. E sei que não gostei do livro porque não fiz nenhuma marcação, não vi nada que me fizesse querer guardar para sempre na minha memória, nem mesmo uma única citação! As citações que tenho deste livro foram que fui buscar à Internet e mesmo assim não gosto muito delas!

Quanto às personagens, é assim, eu sei que as personagens tinham por volta dos dezasseis anos, falando apenas nas crianças. Mas, a maneira como elas agiam, parecia demasiado infantil. São crianças sim, e algumas delas muito adultas, mas há limites. Para mim a personagem princiapl era muito infantil. Sim, estava em trauma, sim ok. Mas mesmo assim? Muitas das suas atitudes não se justificavam. Queria saber que realmente tinha acontecido, eu entendo, mas podia ter sido uma personagem muito melhor delineada.

“Às vezes, tudo o que você precisa fazer é cruzar uma porta.”

E agora falemos do que me fez mais confusão. O que os pais fazem nesta história? Nada. Eles tentam ter um papel, mas na verdade o escritor só lá colocou os pais porque o rapaz precisava de uns pais para a história parecer bonita. O que vemos durante a histório são pais irresponsáveis, que fingem querem saber do filho, mas não se importam. Levam-no 17333839_1004710116327235_6266290266194313216_npara uma ilha desconhecida, deixam ele andar numa ilha desconhecida com gente desconhecida, e muitas das vezes por lugares sombrios sozinhos. O que eles queriam obter com estes pais? Fácil. Queria que o rapaz para além de ter sofrido o trauma querem que ele tenha uns pais que não querem saber dele, e assim ele tem mais uma fonte de revolta e raiva.

E isto é mais um limite da ficção. Os pais precisam ter um papel fundamentaal no livro quando aparecem. Pais irresponsáveis existem sim, mas se mostram isso em todos os livros, parece que o livro não mostra credibilidade. Vmaos começar a mudar isso? Não é necessário acontecer o mesmo em todos os livros.

E foi isto que achei do livro. É uma opinião diferente do que estou habituada a fazer. Tenho muitas críticas e tentem abordá-las todas, mas faltam-me palavras honestamente. Vou querer ler os outros livros da trilogia, e porquê? Tenho esperança que a história melhore. Se bem, que para mim este filme e trilogia, poderia muito bem ter ficado apenas com o primeiro livro.

Bertrand Editora, Livros, Opinião

22/11/63 – Stephen King [Opinião]

image.jpgEdição/reimpressão: 2014

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722529068

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “Quando o seu amigo lhe propõe que atravesse uma porta do tempo para regressar ao passado com uma missão especial, Jake fica completamente arrebatado. A ideia é impedir que Oswald mate o presidente Kennedy. Jake regressa a uma América apaixonante e começa uma nova vida no tempo de Elvis, dos grandes automóveis americanos e de gente a fumar.
O curso da História está prestes a mudar…”

Opinião: Quem não leu este livro deveria ler. A todos aqueles que têm medo de ler Stephen King por os seus livros serem grandes, e principalmente este, perca esse receio e leia este livro. Este livro tem cerca de 900 páginas, mas a cada folha que o leitor passa fica cada vez mais apaixonado pelo livro.

Trata-se de um tema complicado e não é qualquer escritor que consegue falar deste tema. Stephen King teve imenso trabalho a pesquisar sobre o tema, tentou ao máximo aproximar-se da realidade e conseguiu. Não vi naquela época, mas consegui imaginar-me lá.

E quanto a JFK, todos conhecem ao menos o básico que foi o presidente assassinado, mas ficar a saber um pouco mais disso? As conspirações, detalhes da história que poucos sabem. Pode parecer desinteressante, nem se trata da história do nosso país, mas acreditem que vale a pena.

Apenas tinha lido um livro de Stephen King, tinha este na estante e o receio de o ler por ser grande era deveras enorme. Mas ainda bem que peguei nele. Acho que vai ser das minhas leituras preferidas de 2017. Tenho mais um livro de King na estante, pretendo ler em breve o livro. Sinto um desejo enorme de ler todos os livros de Stephen King!

É um livro interessante, e aliás, cheio de mistérios. Ficámos curiosos com o que poderá acontecer e o que poderá mudar. Criámos uma relação com a personagem principal, e vemos ele a tentar arranjar soluções para os seus problemas. Quando menos esperámos acontece algo tão inesperado para a personagem principal, como para o leitor. E é isso que faz uma pessoa amar o livro da primeira à última página. Não me canso de dizer que Stephen King tem talento!name blogger

1001 Mundos, Bertrand Editora, Chiado Editora, Edições ASA, Edições Chá das Cinco, Edições Gailivro, Editoral Planeta, Editoral Presença, Leituras do Mês, Livros, Lua de Papel, Marcador, Nuvem de Tinta, Opinião, Porto Editora, Publicações Europa-América, Quinta Essência, Saída de Emergência, Tânia Dias, TopSeller

Livros que Li em 2016

O ano de 2016 está a acabar e eu não podia estar mais feliz quanto ao número de livros que li este ano! No ínicio do ano pretendia ler 50 livros, mas depois decidi ler apenas 30. Consegui ler 55 livros! Isso mesmo 55 livros, nem eu estava a espera de conseguir ler tanto. Podemos dizer que eu ia a meio do ano e tinha mais ou menos 20 livros lidos, nem tanto e depois como por milagre consegui ler 30 livros! Desde do ínicio do verão que tenho conseguido manter um ritmo de leitura, mais ou menos 4 a 5 livros por mês, quero tentar manter este ritmo, mas com as aulas é muito complicado conseguir ler!

Com um número de 19 517 páginas lidas, os livros que eu li em 2016 foram:

  • Eleanor & Park, Rainbow Rowell 
  • A Rapariga no Comboio, Paula Hawkins
  • Cidades de Papel, John Green
  • Quando Aqui Estavas, Daisy Whitney
  • Lugares Escuros, Gillian Flynn
  • Entre o Agora e o Nunca, J. A. Redmerski
  • Desejar, Carrie Jones
  • Fangirl, Rainbow Rowell
  • Os Aromas do Amor, Dorothy Koomson
  • Prometo Perder, Pedro Chagas Freitas
  • A Praia das Pétalas de Rosa, Dorothy Koomson
  • O Homem da Areia, Lars Kepler
  • A Rapariga que Roubava Livros, Markus Zusak
  • A Cada Dia, David Levithan
  • O Outro Amor da Vida Dele, Dorothy Koomson
  • Divergente, Veronica Roth
  • Insurgente, Veronica Roth
  • Convergente, Veronica Roth
  • Maestra, L. S. Hilton
  • Death Note Volume 1 (Black Edition), Tsugumi Ohba
  • Harry Potter e a Pedra Filosofal, J. K. Rowling
  • Se Eu Ficar, Gayle Forman
  • O Oceano no Fim do Caminho, Neil Gaiman
  • A Sorte que Move o Destino, Matthew Quick
  • Entre o Agora e o Sempre, J. A. Redmerski
  • Despedaçada, Tânia Dias
  • Diário de um Vampiro Banana 2, Tim Collins
  • Cinder, Marissa Meyer
  • A Hora do Vampiro, Stephen King
  • Uma Morte Súbita, J. K. Rowling
  • Os Maias, Eça de Queirós
  • Corações em Silêncio, Nicholas Sparks
  • Quando as Estrelas Caem, Amie Kaufman & Meagan Spooner
  • Fogo, Maya Banks
  • Anjos e Demónios, Dan Brown
  • Fala-me de Um Dia Perfeito, Jennifer Niven
  • A Vidente, Lars Kepler
  • Illuminae, Amie Kaufman & Jay Kristoff
  • Amor e Chocolate, Dorothy Koomson
  • Sangue Fresco, Charlaine Harris
  • Tokyo Ghoul #1, Sui Ishida
  • Êxtase, J. R. Ward
  • Tokyo Ghoul #2, Sui Ishida
  • Tokyo Ghoul #3, Sui Ishida
  • Tokyo Ghoul #4, Sui Ishida
  • Harry Potter e a Câmara dos Segredos, J. K. Rowling
  • Quem Ama Acredita, Nicholas Sparks
  • O Sobrinho do Mágico, C. S. Lewis
  • Eragon, Christopher Paolini
  • Quando a Neve Cai, John Green & Maureen Johnson & Lauren Myracle
  • Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, J. K. Rowling
  • Um Conto de Natal, Charles Dickens
  • O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald
  • Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll
  • Kurt Cobain Journals

Aqui estão todos os livros que li em 2016, na lista encontram-se pela ordem que os li. Considero um bom ano a nível de leituras. E claro, que 2017 seja um ano cheio de muitas mais leituras, e quem sabe consiga chegar aos 60 livros lidos! Logo veremos. name blogger

Bertrand Editora, Livros, Opinião

Anjos e Demónios (Robert Langdon #1) – Dan Brown [Opinião]

image.jpgEdição/reimpressão: 2009

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722520508

Classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: “Quando um famoso cientista do CERN é encontrado brutalmente assassinado, o professor de simbologia Robert Langdon é chamado para identificar o estranho símbolo gravado no peito do cientista. A sua conclusão é avassaladora: a marca é de uma antiga Irmandade chamada Iluminatti, supostamente extinta há séculos e inimiga da Igreja Católica. Em Roma, o Colégio dos Cardeais está reunido para eleger um novo Papa quando se apercebe do rapto de quatro cardeais, ao mesmo tempo que a Guarda Suíça é informada de que uma perigosa arma está na Cidade do Vaticano com o propósito de a destruir. Robert Langdon – quem não o conhece? – ajudado desta vez por Victoria Vetra, cientista do CERN, procura desesperadamente a antimatéria no meio das intrincadas pistas deixadas pelos Iluminati, lutando contra o tempo para salvar o Vaticano.”

Opinião: Eu sempre tive o pressentimento que iria gostar de Dan Brown, e sem dúvida que gostei. É um grande escrito sem dúvida, a sua escrita é simplesmente magnífica e as suas histórias de outro mundo. Digo isto apenas tendo lido um único livro de Dan Brown, e ter visto imensas críticas positivas a outros livros do escritor.

Um dos motivos que me levou a ler este livro foi pura e simplesmente porque me apetecia ler algo diferente, e este livro já estava a chamar por mim desde Setembro, mas claro, eu colocava sempre outro à sua frente. Finalmente peguei nele, e nem foi preciso muito para me apegar. Quando dei por mim já tinha lido mais de 100 páginas num único dia. Infelizmente tive de fazer várias pausas na leitura, e claro, como não queria que o livro acabasse rápido li mais lentamente que o normal.

Adorei as personagens,  cada uma melhor que a outra. E havia mistério! Dei por mim a criar mil e uma teorias na minha cabeça e no fim nenhuma das minhas teorias era verdadeira. Amei o final, nunca vi um final tão dramático. Acho que a história não podia ter tido melhor final.

Um motivo porque não dei 5 estrelas foi porque ao compara este livro com “A Hora do Vampiro” de Stephen King (sei que não tem nada a ver!), apercebi-me que gostei mais do livro de Stephen King, portanto ficou-se pelas 4 estrelas e nem chegou às 4,5 estrelas.

Aconselho este livro a quem gosta de mistérios, e para quem é apreciador de arte ainda mais vai amar! Se nunca leram Dan Brown aconselho mesmo a começarem por este livro, depois deste só irão querer ler mais e mais de Dan Brown, como eu! Já fiz a lista dos próximos livros que pretendo ler do escritor.name blogger

Bertrand Editora, Livros, Opinião

Fogo (Breathless #3) – Maya Banks [Opinião]

imageEdição/reimpressão: 2014

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722527477

Classificação: 2,5 em 5 estrelas

Sinopse: “Gabe, Jace e Ash: três dos homens mais ricos e mais poderosos do país. Estão habituados a conseguir tudo aquilo que querem. Tudo mesmo. Para Ash, trata-se de uma mulher submissa que o faz esquecer todas as outras…
No que toca ao sexo, Ash sempre gostou de explorar o seu lado mais radical. Exige dominar e prefere as mulheres que gostam das coisas assim. Até mesmo as que partilha com o melhor amigo, Jace. Mas Jace envolveu-se com uma mulher que não quer partilhar. E agora até Gabe, o amigo dos dois, assentou numa relação com uma mulher que lhe dá tudo aquilo de que ele necessita, deixando Ash a sentir-se inquieto e frustrado. É então que Ash conhece Josie, que parece ser imune aos encantos e à riqueza dele. Intrigado, dá início a uma perseguição inabalável, determinado que está a não a deixar escapar.”

Opinião: Detestei o livro, é o que posso dizer. O livro roda em torno do sexo e submissão. Uma rapariga que se submete a um rapaz, por favor, ela deveria ter mais um pouco de dignidade. Além do mais, as personagens apaixonaram-se de um dia para o outro.

Eu não li os outros dois livros da trilogia, e não me arrependo. Apenas iria fiar a saber a história de outros personagens, e iria ser o mesmo que este ou pior. Seria sexo e só sexo. E claro, o casal iria zangar-se e pronto, depois aconteceria algo mal e viveriam felizes para sempre.

Este livro foi decepcionante. Esperava algo mais, eu queria algo mais. Aconselharam-me este livro e eu li porque achei que iria gostar. E não gostei. Foi o livro que mais me desiludiu este ano. Foi o que dei uma classificação mais baixa, o pior que li.

Para quem gosta de livros com histórias de submissão e eróticos, deve gostar. Isto não é nada o meu género. Leio alguns livros, mas não estou muito habituada e se forem mal escritos então é pior para mim. Acreditem ou não, este livro é ainda pior que o 50 Sombras. Se não gostaram do 50 Sombras não gostam deste.

Outro ponto importante a ser falado neste livro é que as personagens não têm nada de interessante. Como já referi, só querem saber de sexo e nada mais. É uma típica história cliché, do início ao fim. E muitas das vezes as personagens fazem coisas que não conseguimos entender, acções tão parvas que ficámos a pensar “É impossível alguém agir assim”.

Queria ter gostado deste livro, queria mesmo. Mas infelizmente acabou sendo o pior livro que li este ano. name blogger

Bertrand Editora, Livros, Opinião

A Hora do Vampiro – Stephen King [Opinião]

image-4Edição/reimpressão: 2010

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722521253

Classificação: 4,5 em 5 estrelas

Sinopse: “Uma cidade, Sálem, uma casa assombrada e os seus inquilinos (dois vampiros) são o ponto de partida para esta história maravilhosa de vampiros bem escrita e ao mesmo tempo assustadora.”

Opinião: Foi o primeiro livro que li de Stephen King do início ao fim. Já tinha tentado ler outros livros dele, mas simplesmente não era o momento ideal para eles. Peguei neste porque achei que era o livro ideal para se ler no mês de Outubro devido ao Halloween, e não me enganei. É dos melhores livros para se ler nesta época, fala muito bem de vampiros, não é daqueles livros que vampiros que agora se encontram em qualquer esquina, é um livro de vampiros com uma boa história.

Eu apenas não lhe dou 5 estrelas ao livro porque houve algumas partes chatas que poderiam muito bem ter sido retiradas, mas de resto é maravilhoso o livro. As personagens encontram-se muito bem criadas, a escrita do autor é simplesmente magnifica e deliciosa e a história encontra-se muito bem contada.

Eu não gosto de ler livros em que contam diferentes pontos de vistas de várias personagens, quando reparei que este livro era assim fiquei de pé atrás, mas logo apercebi-me que ia adorar. O escritor sabe bem escrever derivados pontos de vista da mesma situação, e ficámos com a sensação de que estamos mesmo lá a viver a situação.

Um outro ponto que adorei no livro foi que ao longo da história Stephen King ia dando-nos um ponto de vista geral do que acontecia com as personagens e com a cidade, assim era fácil não nos perdermos na história.

Sempre ouvi dizer que Stephen King tinha jeito para escrever thrillers e é verdade, tem mesmo imenso jeito. A maneira dele escreveu capta a atenção e rouba o coração de qualquer leitor. Quem nunca leu um livro de Stephen King aconselho imenso ler, vão apaixonar-se pelo escritor.

Tenho mais dois livros do escritor na estante para ler, e um deles é enorme, mas aos poucos irei o ler. Quero claro ler mais livros do escritor, fiquei completamente apaixonada por Stephen King.

Considero um dos melhores livros que li este ano!name blogger

Bertrand Editora, Livros, Opinião

Objetos Cortantes – Gillian Flynn [Opinião]

image-3
Edição/reimpressão:
2015

Editor: Bertrand Editora

ISBN: 9789722529891

Classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: “Recém-chegada de um internamento breve num hospital psiquiátrico, Camille Preaker tem um trabalho difícil entre mãos. O jornal onde trabalha envia-a para a cidade onde foi criada com o intuito de fazer a cobertura de um caso de homicídio de duas raparigas.
Há anos que Camille mal fala com a mãe, um mulher neurótica e hipocondríaca, e quase nem conhece a meia-irmã, uma bela rapariga de treze anos que exerce um estranho fascínio sobre a cidade.
Agora, instalada no seu antigo quarto na mansão vitoriana da família, Camille dá por si a identificar-se com as vítimas. As suas pistas não a conduzem a lado algum e Camille vê-se obrigada a desvendar o quebra-cabeças psicológico do seu passado para chegar ao cerne da história. Acossada pelos seus próprios fantasmas, terá de confrontar o que lhe aconteceu anos antes se quiser sobreviver a este regresso a casa.”

Opinião: É impossível não gostar de Gillian Flynn. Para mim deve ser das minhas escritoras preferidas de Thriller. Li Em Parte Incerta e adorei, li Lugares Escuros e adorei, li Objetos Cortantes e adorei. Que venham mais livros da Gillian Flynn que eu irei lê-los todos e voltar a pedir mais e mais.

Apeguei-me a este livro desde da primeira até à última página. O nome captou logo a minha atenção. A história fala em assuntos tão importantes e que de certo modo são desvalorizados na sociedade, ou até mesmo acabam sendo motivo de gozo.

É um livro muito intenso, senti cada palavra da escritora e além do mais senti que me encontrava lá. Consegui perfeitamente visualizar os cenários e as personagens sem dificuldade alguma. Este, ao contrário de Em Parte Incerta, não consegui parar de o ler desde que comecei. Não achei partes chatas, claro que tem sempre uma ou outra, mas todos os livros têm.

A Gillian sabe escrever Thriller, e agradeço-lhe imenso por isso.

Foi um livro que despertou várias vezes as minhas emoções, se assim não fosse não daria as quatro estrelas. A história em si, bem, eu gostei da história mas por vezes fiquei confusa admito. Se eu fosse avaliar o livro apenas pela história e não ligasse aos detalhes da escrita, e a maneira como fez-me sentir tudo o que acontecia, talvez eu lhe desse três estrelas apenas. Mas juntando tudo mereceu as quatro estrelas. Se fosse outra pessoa que não a Gillian a escrever esta história tenho a certeza que não iria gostar tanto.

name blogger