O Hipnotista (Joona Linna #1) – Lars Kepler [Opinião]

image (1).jpgEdição/reimpressão: 2016

Editor: Porto Editora

ISBN: 9789720040664

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “Erik Maria Bark é o mais famoso hipnotista da Suécia. Acusado de falta de ética, e com o casamento à beira do colapso, jurou publicamente nunca mais praticar a hipnose nos seus pacientes e há dez anos que se mantém fiel à sua promessa. Até agora.

Estocolmo. Uma família é brutalmente assassinada e a única testemunha está internada no hospital em estado de choque; Josef Ek, de apenas 15 anos, presenciou o massacre dos seus pais e irmã mais nova, sendo ele próprio encontrado numa poça de sangue, vivo por milagre.

Nessa mesma noite, Erik Maria Bark recebe um telefonema do comissário Joona Linna solicitando os seus serviços – urge descobrir a identidade do assassino e para tal Josef deverá ser hipnotizado. Erik aceita a missão com relutância, longe de imaginar que o que vai encontrar pela frente é um pesadelo capaz de ultrapassar os seus piores receios.

Dias mais tarde, o seu filho de 15 anos, Benjamin, é sequestrado da própria casa. Haverá uma ligação entre estes dois casos? Para salvar a vida de Benjamin, o hipnotista deverá enfrentar os fantasmas do seu passado e mergulhar nas mentes mais sombrias e perversas que jamais poderia imaginar; o que tinha por difuso revela-se abominável, o que tinha por suspeito surge como demoníaco. Para Erik, a contagem regressiva já começou…”

Opinião: Quem segue o blog, sabe que a minha primeira opinião foi do livro “O Homem da Areia”, o quarto livro desta série. E para quem anda bem informado, sabe que eu após ter lido o quarto livro da série li o terceiro “A Vidente”. E, aqueles que andam super bem informados sabem que eu li o quarto e o terceiro livro sem ler o primeiro nem o segundo. Eu disse na altura que li o quarto livro que não iria ler a série toda, mas após ter lido A Vidente, a minha opinião mudou.

Fiquei com uma enorme vontade de ler toda a série, falta-me ler apenas o segundo livro e o quinto. Penso que mês menos mês deve estar aí a sair o sexto volume que já foi publicado na Suécia, portanto é só esperar!

Eu li o Hipnotista em tipo, um dia. Isso mesmo. E quem nunca leu nada de Lars Kepler não entende o que estou a dizer. Lars Kapler, é uma dupla de escritores, marido e mulher, e que por acaso têm imenso jeito para escrever thrillers e policiais. Bato-lhes palmas porque considero-os quase os mestres do thriller e suspense. Posso dizer que foram eles que me empurraram para o mundo dos policiais suecos, e digo que estou a a-m-a-r.

O que adoro mais nos livros dos Kepler é sem dúvida a escrita e os capítulos curtos que só nos fazem querer ler mais e mais. Quando acabava um capítulo eu só pensava “Só mais um capítulo”, e quando dei por mim já tinha lido o livro todo. á a muito que não lia um livro de 500 páginas num dia só, foi sem dúvida uma boa experiência. Adorei, e sinto que vai acontecer o mesmo quando eu decidir pegar no segundo livro da série.

O que eu achei do Hipnotista? Amei. Digo-vos mesmo, as cinco estrelas que dei a este livro são bem merecidas. Eu não gostei muito do Homem da Areia, amei a Vidente e agora amei o Hipnotista. Honestamente, estou com receio que não goste do segundo livro.

Um facto dos livros dos Kepler, é que nunca estamos à espera do que vai acontecer. Nunca mesmo. Pensamos que vai acontecer isto, e se por acaso acontece, logo depois acontece uma enorme tragédia. Eu nunca consigo adivinhar o final, e isso irrita-me, não consigo fazer teorias nem nada. Eles têm talento, oiçam o que eu digo. Adorava ver os livros adaptados ao cinema, acho que ia ver todos os filmes. É que os livros são tão simples, mas aomesmo tempo complexos que ficamos sempre a desejar mais.

Eu e séries não temos uma boa relação, normalmente leio os primeiros e depois não quero ler mais. Eu canso-me de ler “sempre o mesmo”, mas esta série não é assim. A cada livro que lemos a série só fica melhor e melhor. Por favor, se gostam de thrillers e policais pegam já no primeiro livro de Lars Kepler e leiam.

Sinto-me tentada em começar já hoje a ler o segundo livro da série, será melhor acalmar primeiro e depois ler. E como é óbvio, e já deve ter dado para entender, Lars Kapler já estão no meu top!name blogger

O Sedutor (The Seducers #1) – Madeline Hunter [Opinião]

image-5Edição/reimpressão: 2012

Editor: Edições ASA

ISBN: 9789892318462

Classificação: 3 em 5 estrelas

Sinopse: “Diane Albret é órfã e passou a maior parte da sua vida num colégio interno. Sem mais família, está habituada a receber apenas uma visita: Daniel St. John, o seu irresistível tutor. Ao longo do tempo, ele visitou-a sempre uma vez por ano. Mas o seu mais recente encontro reserva-lhe uma surpresa: Daniel esperava encontrar uma menina e Diane é já uma bela e carismática mulher. Ele aceita retirá-la da clausura do colégio e levá-la consigo para Londres. Porém, ambos têm planos que preferem manter em segredo.
Diane está decidida a descobrir o que se passou com a sua família, que nunca chegou a conhecer. Só Daniel pode revelar o que ela tanto deseja saber, mas ele tudo fará para que o passado permaneça secreto, pois os seus efeitos representam uma ameaça fatal para a vida de ambos. Por seu lado, Daniel está subtilmente a usar a inocência da sua protegida para uma vingança que planeia há mais de uma década.
Mas a crescente proximidade entre ambos ameaça dificultar-lhes os planos e, pouco a pouco, eles apercebem-se de que têm mais em comum do que julgavam. Poderá um novo amor triunfar sobre ódios antigos?”

Opinião: Eu li pelo menos três livros de Madeline Hunter e adorei. Quanto a Romances Históricos são os meus preferidos. Passados mais ou menos quatro ou cinco anos, decido que quero voltar a ler romances históricos. Começo claro, por uma escritora que adoro a escrita, mas arrependi-me. Se antes adorava romances históricos, agora percebi que já não é mais o meu estilo.

Foi tão, mas tão complicado para mim gostar do livro. Eu li mais de cem páginas sem gostar deuma única personagem. Só mais ou menos a meio é que consegui interessar-me pela história. Mas depois, o meu entusisamo perdeu-se por a história ficar prevísivel.

Odiei o facto de Diane tentar parecer muito dona de si mesma, e depois viver sempre debaixo da capa de Daniel. Eu não gostava da relação deles, uma relação assim nem merece ser relação. Eu detestei o final, foi óbvio, e eu não sou muito do “E viveram felizes para sempre”.

Eu fico mesmo triste por não ter gostado deste livro da Madeline Hunter, era uma das minhas escritoras preferidas. Sinto-me tentada em desfazer-me do livro porque sei que ele não me irá fazer falta na estante. E até tenho vergonha de o colocar ao lado dos outros livros da autora.

Eu talvez, um dia mais tarde, volte a tentar pegar nos romances históricos. Por enquanto, já não são a minha onda infelizmente. Mas se gostam imenso de romances históricos, aconselho-vos a experimentar Madeline Hunter, ela tem livros incríveis. name blogger

Contos de Cães e Maus Lobos – Valter Hugo Mãe [Opinião]

imageEdição/reimpressão: 2016

Editor: Porto Editora

ISBN: 9789720048103

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “A escrita encantatória de Valter Hugo Mãe chega ao conto como uma delicadíssima forma de inclusão. Estes contos são para todas as idades e são feitos de uma esperança profunda.

Entre a confiança e o receio, cães e lobos são apenas um símbolo para a ansiedade perante a vida e a fundamental aprendizagem de valores e da capacidade de amar. Entre a confiança e o receio estabelecemos as entregas e a prudência de que precisamos para construir a felicidade.”

Opinião: Eu não sou muito de ler autores portugueses. Até agora só li Eça de Queirós e Pedro Chagas Freitas. Um dos meus objetivos para este ano é sem dúvida mudar isso. Quero ler mais do que é nosso, porque temos escritores super bons e que merecem ser reconhecidos. Por sorte comecei por Valter Hugo Mãe. Já ouvi maravilhas dele, aconselham imenso os livros dele e agora entendo o porquê.
Este livro encontra-se dividido em diversos contos. E digo-vos que cada um melhor que o outro. Claro que tem um ou dois que não são tão bons como os outros, mas mesmo assim não ficam muito atrás. Admiro o escritor por conseguir escrever da perspetiva de várias personagens todas diferentes. Criar uma história para elas não é nada fácil, principalmente quando sabemos que tem de ser apenas um conto. Mas Valter Hugo Mãe soube lidar com isso perfeitamente.
De todos os contos o que gostei mais foi sem dúvida “O Rapaz que Habitava os Livros”, “As Mais Belas Coisas do Mundo” e “Bibliotecas”. Adorei tanto aqueles contos que foi impossível não os guardar no coração.
Uma característica muito interessante do livro, para além de ser uma edição super bonita tem ilustrações. As folhas são em tons vermelhos, a capa é deveras simples e incrível e temos todo o tipo de ilustrações. E para tornar o livro mais especial temo um prefácio de Mia Couto, e não podia concordar mais com as suas palavras. Que venham mais livros de Valter Hugo Mãe, porque ele conquistou-me o coração e a alma.
name blogger

Filme | Doutor Estranho (2016)

49e5048a271412a28c0b951cf5f25004Título Original: Doctor Strange

Género: Acão, Aventura, Fantasia

Lançamento: Outubro 2016

Elenco Principal: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Rachel McAdams

Classificação: 9 em 10 estrelas

Sinopse: “Stephen Strange é um neurocirurgião brilhante, mas muito vaidoso e arrogante. Com pouco mais de 30 anos, um acidente de carro danifica-lhe os nervos das mãos e em desespero, depois de uma série de tentativas falhadas, decide partir para o Tibete, onde espera encontrar um mago conhecido como “Ancião”. Mas não é bem uma cura que Strange encontra, mas uma ordem de artes místicas que o ensina a tirar proveito de todo o tipo de energia. Uma mistura de artes marciais e magia que com o tempo vão transformá-lo no mestre da magia negra.”

Opinião: Antes de mais, eu agradeço às pessoas que conseguiram colocar dois dos meus atores preferidos num filme. Além do mais quero agradecer pelos efeitos e também pela maquiagem que foi mais que perfeita!

Conseguiram juntar dois atores que adoro, Benedict Cumberbatch e Mads Mikkelsen. Para quem não os conhece, o Benedict é conhecido pelo seu grande papel na série Sherlock, aconselho-vos imenso a ver. E o Mads é conhecido pelo papel super hiper mega bem representado em Hannibal, que antes de mais, é a minha série preferida e vocês deviam ver!

Eu não consegui levar o filme a sério. Um filme onde entra o Ben já é impossível levar a sério, agora um filme onde entra o Ben e o Mads, esqueçam. Não dá. Para mim pareceu pura comédia. Eu olhava para eles e só imaginava o momento em que ambas iam dizer algo engraçado e iam rir-se.

Como referi adorei os efeitos especiais, achei que estavam bem elaborados. E eu nunca vi um filme com tantos efeitos, que trabalho aquilo tudo deve ter dado! Quanto à maquiagem, merecem uma vénia. Principalmente a maquiagem do Mads que deve ter dado imenso trabalho!

Achei o filme explêndido. Já o devia ter visto, mas tinha receio e a minha pouca paciência para filmes não ajuda nada. Mas sempre o vi, e foi automaticamente para o meu top de filmes preferidos (que não é assim muito grande!)

Se ainda não assistiram o filme eu recomendo imenso. Penso que vão adorar tanto ou mais que eu! Os atores e mesmo os diretores do filme fizeram um bom trabalho. Que venha o próximo! E para aqueles que ainda não viram o filme e pretendem ver, esperem pelo fim dos créditos. Tem uma cena especial!name blogger

Filme | Viver Depois de Ti (2016)

image-2Título Original: Me Before You

Género: Drama, Romance

Lançamento: Agosto 2016

Elenco Principal: Emilia Clarke, Sam Claflin, Janet McTeer

Classificação: 8,5 em 10 estrelas

Sinopse: “Louisa “Lou” Clark vive numa pitoresca vila no campo, em Inglaterra. Sem um rumo definido na sua vida, a excêntrica e criativa jovem de 26 anos anda de trabalho em trabalho, para poder ajudar a sua unida família a pagar as contas. Porém, a sua habitual visão alegre da vida é posta à prova quando enfrenta o mais recente desafio da sua carreira. Ao aceitar um emprego numa mansão local, ela torna-se na assistente domiciliária e companhia de Will Traynor, um jovem e abastado banqueiro que fica numa cadeira de rodas após um acidente ocorrido há dois anos, cujo mundo muda bruscamente num piscar de olhos. Deixando de ser a alma aventureira de outros tempos, o agora cínico Will praticamente desistiu de tudo. Mas algo muda quando Lou decidir mostrar-lhe que a vida merece ser vivida. Embarcando os dois numa série de aventuras, tanto Lou como Will encontram mais do que esperavam e veem as suas vidas – e corações – mudarem de maneiras que nunca poderiam ter imaginado.”

Opinião: Bem, por norma eu costumo esperar um tempo após ler o livro para então ver o filme. Por vezes eu nem chego a ver o filme. Mas, com o Viver Depois de Ti foi totalmente o contrário. Li o livro todo num dia e no dia seguinte à noite já estava a ver o filme. E acreditem, eu só esperei tanto tempo para ver o filme porque tinha coisas para fazer.

Se adorei o filme? Um pouco. Podia ser melhor? Podia. Mas nós sabemos como são os filmes que foram adaptados de livros. Eu adorei o desempenho de todas as personagens, acho que foram muito bem escolhidas para o papel. Ao ínicio achei que o Will do filme não era bem o Will que eu tinha imaginado enquanto lia, mas depois apercebi-me que aquele Will era o perfeito. Quanto à Lou, sempre a imaginei assim. A Clarke tem imenso talento, e todos os filmes que vi dela amei.

Um facto que não gostei foi terem dado “pouca importância” ao namorado da Lou. Achei que deveria ter dado mais impacto ao final da relação e tudo mais. Pareceu que ele nem fazia falta ali (sim, eu sei que ele não fazia falta ali!). A ordem cronológica não estava bem como o livro, e houveram imensas cenas cortadas que acho que deveriam estar no filme. Mas infelizmente não pode ser o livro todo adaptado ou então seria um filme super longo.

De resto adorei tudo. Desde da banda sonoro, na qual ainda estou viciada à personagens. Eu adorei. Acho que está entre uma das melhores adaptações cinematográficas, e arrependo-me tanto de não ter ido ao cinema ver este filme. Na altura ainda não tinha o livro e pouco ou nada sabia dele. Mas, fica para uma próxima, se houver!

Deixo o link de uma playlist com as músicas do filme, se não me engano apenas falta uma música que esteve no filme e não se encontra na playlist.name blogger

Viver Depois de Ti (Me Before You #1) – Jojo Moyes [Opinião]

image-2Edição/reimpressão: 2016

Editor: Porto Editora

ISBN: 9789720045775

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “Louisa Clark é uma jovem com uma vida banal – um namorado estável, trabalhador e uma família unida – que nunca saiu da aldeia onde sempre viveu. Quando fica desempregada, vê-se obrigada a aceitar um emprego em casa de Will Traynor, que vive preso a uma cadeira de rodas, depois de um acidente. Ele sempre tinha vivido de um modo trepidante – grandes negócios, desportos radicais, viajante incansável – agora tudo isso ficou para trás.

Will é mordaz, temperamental e autoritário, mas Lou recusa tratá-lo com complacência e em breve a felicidade e o bem-estar dele tornam-se muito mais importantes do que ela esperaria. No entanto, quando Lou descobre que Will tem planos inconfessáveis para a sua vida, ela luta para lhe mostrar que ainda assim vale a pena viver.

Em Viver depois de ti, Jojo Moyes aborda um tema difícil e controverso, com sensibilidade, obrigando-nos a refletir sobre o direito à liberdade de escolha e as suas consequências.”

Opinião: Antes de mais, quero agradecer a todos os que me incentivaram a ler este livro. Principalmente ao Pedro do The BookShelter (não se esqueçam de dar uma vista de olhos já agora!), se não fosse a insistência dele acerca deste livro acho que o colocaria na estante e não o lia! Mas ainda bem que li, tornou-se um dos preferidos.

Uma coisa que disse a mim mesma este ano foi “Não te metas a ler livros lamechas e com histórias tristes para não chorares”, e que fiz eu logo no segundo mês do ano? Li um livro que apegou-me da primeira à última página, li-o num dia e terminei o dia a chorar. Isso mesmo. E eu que sou conhecida por não chorar com ficção.

Domingo conhecei a manhã a ler Viver Depois de Ti, e terminei faltavam cerca de 7 minutos para a meia-noite. Não resisti e na segunda feira tive de assistir ao filme (em breve opinião no blog). Acho que deu para entender o quanto gostei do livro, não? Ok.

Eu sou grande fã de pessoas super aventureiras. E o Will é a minha definição de pessoas que aproveitam a vida ao máximo. Eu sou grande fã de pessoas que têm estilo próprio e não se importam com o que os outros pensam. A Lou é a definição perfeita para isso. As personagens principais são perfeitas. Não me lembro de ter alguma vez conhecido personagens tão autênticas. Apeguei-me tanto à Lou como ao Will. Rezei imenso para o primeiro beijo, e fiquei de coração nas mãos quando acomteceu.

O que aqueles dois tinham era mais que uma simples ligação. Dou imenso valor ao que eles criaram. Este livro prova que qualquer coração de pedra pode virar um coração mole. Demonstra que podemos estar na pior situação, mas teremos sempre alguém que nos ama e irá estar lá para nos colocar a sorrir.

É um tema de bastantes controvérsias. Apeteceu-me gritar com o Will, mostrar-lhe que existe esperança. Mas, parei e pensei. Se fosse eu? Queria sofrer? Queria olhar para trás, ver o que em tempos fui e não voltarei a ser? Não seria melhor ter um fim? É um tema que dói na alma, e não é apenas história, é a realidade. Existem diversos casos assim, por vezes dizemos “Se fosse eu nunca faria isso”, mas não conseguimos nem imaginar um terço da dor que as pessoas sentem.

Dou os parabéns à Jojo Moyes por lidar com este tema de uma maneira tão  interessante. Ela soube dar-nos a dose perfeita de romance, drama e tristeza. Tivemos tudo neste livro. E honestamente, tornou-se sem dúvida um dos meus preferidos. Sei que tem segundo livro, mas sinceramente acho que não irei ler. Não agora. Prefiro deixar a história do Will e a da Lou assim. Ela é perfeita da maneira que está.

Obrigada a todos que me incentivaram a ler este livro, nem imaginam o quanto este livro me marcou. O melhor dos melhores. Estará sempre guardado no meu coração.name blogger

Os Homens que Odeiam as Mulheres (Millennium #1) – Stieg Larsson [Opinião]

imageEdição/reimpressão: 2013

Editor: D. Quixote

ISBN: 9789722055000

Classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “O jornalista de economia MIKAEL BLOMKVIST precisa de uma pausa. Acabou de ser julgado por difamação ao financeiro HANS-ERIK WENNERSTÖM e condenado a três meses de prisão. Decide afastar-se temporariamente das suas funções na revista Millennium. Na mesma altura, é encarregado de uma missão invulgar. HENRIK VANGER, em tempos um dos mais importantes industriais da Suécia, quer que Mikael Blomkvist escreva a história da família Vanger. Mas é óbvio que a história da família é apenas uma capa para a verdadeira missão de Blomkvist: descobrir o que aconteceu à sobrinha-neta de Vanger, que desapareceu sem deixar rasto há quase quarenta anos. Algo que Henrik Vanger nunca pôde esquecer. Blomkvist aceita a missão com relutância e recorre à ajuda da jovem LISBETH SALANDER. Uma rapariga complicada, com tatuagens e piercings, mas também uma hacker de excepção. Juntos, Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander mergulham no passado profundo da família Vanger e encontram uma história mais sombria e sangrenta do que jamais poderiam imaginar.”

Opinião: Desde que vi o filme que fiquei com certa curiosidade acerca deste livro. E honestamente, adorei o livro. Já tinha adorado o filme (pretendo revero filme, para breve) e o livro foi muito melhor. Não acho que houve muitas diferenças no filme, acho que se trata de uma das melhores adaptações cinematográficas que eu já vi.

Adorei todas as personagens. É complicado conseguir 16583288_1766901860295578_8106004636596436992_ngostar de todas as personagens de um livro, mas adorei mesmo todas. Estavam tão bem criadas, e a maneira como elas agiam e tudo mais, pareciam tão reais. A minha personagem preferida foi a Lisbeth, claro! Aquela rapariga tem muito para mostrar.

O que mais gostei sem dúvida foi da escrita. É uma escrita super fluída para o género de livro que se trata. Os cenários são fáceis de se visualizar na nossa cabeça, e além do mais conseguimos estar presentes.

Muitas vezes vemo-nos juntamente com Mikael a tentar resolver os crimes, começámos a pensar em mil e uma teorias da conspiração e no fim já desconfiámos de tudo e todos. Quando descobria verdade fiquei parva. Não esparava nada assim! Fiquei um pouco chocada, mas foi dos melhores finais que eu já vi.

Sinto-me ansiosa quanto aos restantes livros. Pretendo ler, mas não penso que seja para breve. Já ouvi maravilhas dos livros seguintes, dizem que são muito melhores (conseguem ser melhores?!).

Para quem gosta de Lars Kepler, quase que aposto que vai adorar Stieg Larsson. Este livro tem de tudo, desde uma pitada de romance, mistério que nunca mais acaba, suspense, drama, um pouco de terror. Tem tudo mesmo! Sempre me disseram que os suecos têm jeito a escrever, e acreditem que não é mentira!name blogger